Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A vice-presidente do governo espanhol Soraya Sáenz de Santamaría conversa com repórteres em Madri, no dia 7 de setembro de 2017

(afp_tickers)

A vice-presidente do governo espanhol, Soraya Sáenz de Santamaría, afirmou nesta terça-feira que o presidente catalão, Carles Puigdemont "não sabe onde está, aonde vai, nem com quem quer ir", depois que este último assinou uma declaração de independência, da qual suspendeu os efeitos.

A número dois do governo espanhol anunciou, ainda, a convocação de um conselho extraordinário de ministros, presidido por Mariano Rajoy, chefe do Executivo de Madri, para esta quarta-feira às 07h00 GMT (04h00 de Brasília).

O objetivo será "abordar os próximos passos" após o discurso de Puigdemont no plenário do Parlamento catalão. Além disso, Rajoy mantém "contatos com os principais partidos políticos porque quer o máximo consenso", ressaltou.

Em sua rápida declaração à imprensa, a vice-presidente insistiu em que o referendo de autodeterminação de 1º de outubro, no qual Puigdemont se apoia, foi "um ato ilegal, fraudulento e sem as mínimas garantias".

Neste sentido, desconsiderou a reivindicação feita pelo presidente regional de uma mediação.

"Nem o senhor Puigdemont nem ninguém pode pretender, sem voltar à legalidade e à democracia, impor uma mediação", assegurou.

Igualmente, condenou a fala de Puigdemont no Parlamento catalão para defender seu "mandato" de levar a Catalunha à independência.

"É o discurso de uma pessoa que não sabe onde está, aonde vai, nem com quem quer ir", sentenciou.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP