Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

As mulheres grávidas na Índia estão sendo orientadas a evitar carnes, ovos e luxúria, o que provocou burlas de especialistas em saúde que qualificaram estes conselhos de completamente não científicos

(afp_tickers)

As mulheres grávidas na Índia estão sendo orientadas a evitar carnes, ovos e luxúria, o que provocou burlas de especialistas em saúde, que qualificaram, nesta terça-feira, estes conselhos de completamente não científicos.

As recomendações aparecem em um folheto editado pelo Conselho Central de Pesquisa em Ioga e Naturopatia, organismo financiado pelo governo.

As grávidas devem evitar "ovos, produtos não vegetarianos" e não se deixar levar pelo "desejo" e a "luxúria", diz um dos trechos do folheto que foram publicados pela imprensa indiana.

"Durante a gravidez, as mulheres (...) devem ter pensamentos espirituais, ler biografias de grandes personalidades e se manter em paz", acrescenta.

Vários médicos afirmaram que estes conselhos beiram o ridículo, especialmente em um país que registrou 45.000 mortes maternas em 2015, segundo a Organização Mundial da Saúde.

"Os conselhos sobre alimentação não são de forma alguma científicos. Aconselhar a ficar longe de comida não vegetariana é ridículo, já que a desnutrição e a anemia são os maiores problemas em nosso país", disse à AFP a ginecologista Sharmila Lal.

As recomendações são "baseadas na experiência clínica, em simples tratamentos de naturopatia e em dicas para permanecer livre de estresse durante a gravidez", afirmou em um comunicado o ministério que promove as práticas curativas tradicionais.

AFP