AFP

Bombeiro segura bandeira da Grécia, em Atenas, no dia 8 de fevereiro de 2017

(afp_tickers)

Os credores da Grécia voltarão a Atenas para finalizar a revisão das reformas aceitas pelo governo grego pouco antes do desbloqueio da nova parcela de ajuda do atual programa de resgate antes de uma série de pagamentos previstos em julho.

"As discussões devem ser retomadas amanhã (terça-feira) e durarão vários dias", informou o porta-voz do executivo comunitário, Margaritis Schinas, em coletiva de imprensa.

Os chefes de missão das instituições representando os credores - Comissão Europeia, Fundo Monetário Internacional, Banco Central Europeu e Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEDE) - abordarão com o executivo grego os compromissos alcançados em 7 de abril em Malta.

Naquela reunião de ministros de Finanças da zona do euro, Atenas se comprometeu a aplicar algumas medidas econômicas em 2019 e 2020 para satisfazer seus credores e conseguir uma nova parcela de ajuda que lhe permita devolver mais de 7 bilhões de euros a esses últimos em julho.

Bruxelas comemorou nesta segunda-feira o superávit primário -excluído o pagamento dos juros da dívida- de 4,2% do PIB registrado pela Grécia em 2016, segundo o instituto europeu de estatística Eurostat.

Esta cifra, superior a 3,9% anunciado pela agência de estatísticas gregas, "é bem melhor que a meta de 0,5% fixado para 2016 segundo os termos do plano de ajuda e acima da meta de 3,5% para 2018", garantiu Schinas.

O planejamento imposto ao país por seus credores em julho de 2015 em troca do terceiro programa de empréstimos pelo montante de 86 bilhões de euros prevê um excedente de 0,5% do PIB em 2016 e de 3,5% em 2018.

AFP

 AFP