AFP

(Arquivo) Vista do Centro Pompidou

(afp_tickers)

O Centro Pompidou, um dos museus mais visitados de Paris, continuava fechado neste domingo, por causa de uma greve iniciada na última segunda-feira, de funcionários que rejeitam uma mudança em seu estatuto laboral.

"Como os seguranças estão em greve, não podemos abrir o Centro", informou um porta-voz do museu, de arte moderna.

Cem dos 1,2 mil funcionários estão em greve para protestar contra uma medida que altera o estatuto que rege a atividade dos trabalhadores desde a inauguração do museu, há 40 anos. Os grevistas decidirão amanhã se mantêm a paralisação.

O Centro Pompidou, visitado por mais de 3 milhões de pessoas por ano, comemora em 2017 seu 40º aniversário, e propõe, entre outros eventos, uma exposição sobre o pintor americano Cy Twombly.

Cada dia de greve representa uma perda de entre 15 mil e 18 mil visitantes, incluindo os que frequentam a biblioteca do museu.

O Centro Pompidou foi o único grande museu parisiense cujo número de visitantes aumentou em 2016 (+9%), frente às quedas registradas pelo Louvre (-15%) e Orsay (-13%), mais afetados pelo impacto dos atentados jihadistas que deixaram 238 mortos e centenas de feridos na França desde 2015.

AFP

 AFP