Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Apoiadores da independência da Catalunha assistem ao discurso de Carles Puigdemont em Barcelona, no dia 10 de outubro de 2017

(afp_tickers)

O grupo editorial e audiovisual Planeta, um dos maiores do mundo em língua espanhola, decidiu nesta terça-feira transferir sua sede de Barcelona para Madri, após o discurso do presidente catalão, Carles Puigdemont.

Na segunda-feira, Planeta havia comunicado a decisão do conselho administrativo de "transferir a sede do grupo para Madri caso ocorresse uma declaração unilateral de independência na Catalunha".

Puigdemont firmou nesta terça-feira a declaração de independência, mas suspendeu seus efeitos para tratar de estabelecer um diálogo com o governo espanhol.

Planeta segue assim os passos de grandes empresas que nos últimos dias decidiram retirar suas sedes da Catalunha diante da instabilidade política criada pelas ambições separatistas do governo regional.

Entre estas empresas figuram os dois maiores bancos da Catalunha (CaixaBank e Sabadell), Gás Natural, a administradora de estradas Abertis e Águas de Barcelona, entre outras.

Planeta destacou que a mudança foi adotada "diante da insegurança jurídica que pode ocorrer e para proteger os interesses de seus acionistas, funcionários e do grupo empresarial".

O grupo destaca que a mudança para Madri "não implica em movimentação de funcionários, já que conta com sedes operacionais em diversas cidades da Espanha".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP