AFP

(2 nov) Soldados iraquianos posam com uma bandeira do Estado Islâmico após retomarem o vilarejo iraquiano de Gogjali

(afp_tickers)

Membros do grupo Estado Islâmico (EI), fazendo-se passar por agentes das forças de segurança iraquianas, "executaram" pelo menos 15 civis que os recebiam com alegria no centro de Mossul, informaram as autoridades nesta terça-feira.

Vestidos com uniformes da polícia, os extremistas entraram na segunda-feira em setores da cidade velha e, passando-se por membros das forças federais, começaram a observar a reação dos moradores semeando o medo na população, reportaram o comando conjunto das operações e uma autoridade local.

"O bando terrorista do Daesh (sigla em árabe para EI) cometeu um crime horrível na segunda-feira de manhã em um setor da cidade velha de Mossul", indicou em um comunicado o comando conjunto de operações, que coordena o combate ao EI no Iraque.

Os extremistas "atiraram contra mulheres e crianças que os recebiam com alegria", acrescenta o comunicado, que não especificou o número de vítimas.

Hossameddine al-Abbar, membro do conselho provincial de Nínive, de onde Mossul é a capital, disse à AFP que pelo menos 15 civis foram mortos nesta operação.

"Membros do Daesh, alguns deles vestidos com uniformes da polícia federal, entraram no bairro de Al-Maidan, na cidade velha. Eles estavam em veículos pretos e se comportavam como libertadores. As pessoas saudaram o comboio com alegria, mas eles prenderam algumas delas e executaram pelo menos 15", afirmou Abbar.

As forças iraquianas, apoiadas pela coalizão internacional anti-jihadista liderada pelos Estados Unidos, lançaram em 17 de outubro uma grande ofensiva para retomar Mossul, uma cidade no norte do Iraque sob controle, desde junho de 2014, dos extremistas, que a transformaram em sua capital no país.

Na terça-feira, ganharam terreno no oeste da cidade, aproximando-se da Cidade Velha, informou um general.

"Os heróis do serviço de contra-terrorismo (CTS, forças de elite), ativas no exito oeste, conseguiram limpar completamente o bairro de Tenek", declarou à AFP o general Abdel Wahab Al Saadi, em alusão a um dos "redutos do grupo terrorista".

Segundo Saadi, pelo menos 20 carros-bomba foram neutralizados e dezenas de combatentes do EI, mortos em uma semana de combates.

Forças iraquianas conseguiram retomar a parte leste da cidade, dividida em dois pelo rio Tigre, no fim de janeiro.

Desde 19 de fevereiro, travam uma batalha para retomar a parte oeste da cidade, onde combatentes do EI se entrincheiraram.

AFP

 AFP