Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Policial perto do restaurante Aziz Istambul em Uagadugu

(afp_tickers)

O grupo que atacou no domingo o restaurante Aziz Istambul, em Uagadugu, e matou 18 pessoas, "provavelmente veio do norte do Mali ou de uma área próxima à fronteira", informou à AFP uma fonte das forças de segurança de Burkina Faso.

"Observando a tática dos criminosos, seus traços físicos, eles provavelmente vieram do norte do Mali ou da proximidade da fronteira" com Burkina Faso, afirmou a fonte que pediu anonimato.

Quase 72 horas depois do atentado contra o Aziz Istambul, a ação ainda não foi reivindicada.

O ataque recorda o executado em 16 de janeiro de 2016 no café Cappuccino, que fica a 300 metros do alvo de domingo, onde 30 pessoas morreram em uma ação reivindicada pela Al-Qaeda no Magreb Islâmico (AQMI).

Burkina Faso, país que tem fronteira com Mali e Níger, foi cenário de vários ataques extremistas desde 2015.

"O fato de o ataque (de domingo) não ter sido reivindicado não significa que foi um ato isolado, pode ser obra do Ansarul Islam ou do AQMI (...)", comentou a fonte.

O Ansarul Islam é um grupo islamita ativo no norte de Burkina Faso, que reivindicou vários ataques contra o exército deste país nos últimos meses.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP