Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Entrada da cela de Guzmán

(afp_tickers)

Os guardas carcerários demoraram 18 minutos para chegar à cela do narcotraficante mexicano Joaquín "El Chapo" Guzmán depois que os seguranças encarregados dos monitores detectaram sua fuga, denunciou o ministro do Interior, Miguel Ángel Osorio Chong.

"As pessoas que estavam vendo, observando os monitores, reportaram imediatamente quando deixaram de ver o chefe do cartel Sinaloa na cela", afirmou. "Eles comunicaram ao comando e os agentes carcerários só chegaram à cela 18 minutos depois", acrescentou Chong.

O ministro fez estas declarações depois que, junto com a promotora Arely Gómez e o resto da cúpula de segurança do México, compareceu durante quatro horas a portas fechadas no Congresso para dar explicações sobre a fuga de "El Chapo".

Osorio Chong foi designado pelo presidente Enrique Peña Nieto a coordenar as buscas por "El Chapo" e as investigações sobre a possível colaboração de funcionários na fuga do narcotraficante da prisão de segurança máxima.

Na terça-feira, as autoridades mexicanas exibiram o vídeo da fuga de Guzmán através de um buraco no banheiro de sua cela, que dava acesso a um túnel subterrâneo.

As imagens, registradas por uma câmera de segurança, iniciam às 20H50 de sábado com "El Chapo", usando o uniforme de presidiário, aparentemente urinando em sua minúscula cela.

Em seguida, se agacha na área do chuveiro, que é separada do resto do lugar por um pequeno muro que impede a visibilidade da câmara.

O traficante se agita nervosamente pela cela enquanto olha várias vezes para o banheiro. Nas imagens, de baixa qualidade, poucos objetos são vistos, entre eles um objeto brilhante do tamanho de um Ipad.

Em um certo ponto, o prisioneiro se senta na cama para trocar seus sapatos, caminha de volta para o chuveiro, agacha-se e desaparece através de um buraco que não é visível no vídeo.

São 20h52 e um dos mais poderosos criminosos do planeta foge pela segunda vez de uma prisão de segurança máxima mexicana.

O governo, que sofreu uma humilhação internacional, decidiu difundir este vídeo três dias após a fuga, enquanto segue em busca, mais uma vez, do inimigo público número um.

As forças de segurança mexicanas estão rastreando hotéis, hospitais e funerárias em sua caça ao narcotraficante, ao mesmo tempo em que reforçaram as operações na fronteira com a Guatemala.

Um total de 1.250 policiais federais foram mobilizados em unidades especiais de busca nos arredores de El Altiplano, situado 90 km a oeste da capital.

Cerca de 8.200 policiais federais também estão em alerta máximo em todo o país para colaborar na caça de "El chapo", um dos narcotraficantes mais poderosos do mundo.

Esta é a segunda fuga de "El Chapo" de uma prisão de segurança máxima. A primeira ocorreu em 2001, quando saiu escondido em um carrinho de lavanderia.

Depois de fortalecer seu império criminoso e liderar sangrentas batalhas contra seus inimigos durante os 13 anos que viveu na clandestinidade, "El Chapo" foi detido em fevereiro de 2014.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP