Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O ex-presidente guatemalteco Otto Pérez, na Cidade da Guatemala, no dia 8 de setembro de 2015

(afp_tickers)

A Comissão contra a Impunidade na Guatemala (Cicig) pediu nesta terça-feira proteção para um preso que incriminou o ex-presidente Otto Pérez e a ex-vice-presidente Roxana Baldetti em um escândalo de corrupção que os obrigou a renunciar aos cargos.

"Após escutar as declarações de (o preso) Salvador Gonzáles, o Ministério Público (Procuradoria) e a Cicig consideram que poderá estar em uma situação de perigo, pois sua integridade estaria ameaçada", alertou a comissão internacional em um comunicado.

González, conhecido como Eco e vinculado a uma fraude milionária na alfândega, disse na segunda-feira diante de um juiz que Pérez e Baldetti recebiam 50% dos subornos arrecadados pela estrutura denominada "La Línea", que cobrava subornos de empresários para sonegar impostos aduaneiros.

Diante das declarações, a Cicig considerou que as autoridades devem "adotar as medidas necessárias para preservar a vida e a integridade pessoal de González".

González foi detido no último 16 de abril como suposto chefe de uma estrutura externa das aduanas que participou na fraude, junto a outras vinte pessoas, incluindo altos funcionários do sistema alfandegário.

AFP