Navigation

Guatemala pedirá devolução de dinheiro se Rússia não entregar a tempo vacina Sputnik V

Funcionários do aeroporto e da sáude carregam lote de 50.000 vacinas russas Sputnik-V contra a covid-19, no Aeroporto Internacional Aurora, na Cidade da Guatemala afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 30. junho 2021 - 16:29
(AFP)

A Guatemala pedirá a devolução do pagamento pela compra da vacina Sputnik V se a Rússia não enviar no prazo pelo menos oito milhões de doses, enquanto considera a renegociação do contrato para evitar novos pagamentos.

"Se as entregas não forem cumpridas em relação a um cálculo que fizemos (...) Então exigiríamos a devolução dos recursos que ainda temos, aos quais eles [o fundo russo] estão muito abertos [a devolver]", disse nesta quarta-feira (30) a ministra da Saúde, Amélia Flores, ao programa de rádio Con Criterio.

Em encontro com parlamentares na terça-feira, o ministro informou que o governo enviou carta ao Fundo de Investimento Direto da Rússia (RDIF), dando prazo de 20 dias para o envio de ao menos as segundas doses para quem recebeu a primeira em maio, embora o número não tenha sido especificado.

A Guatemala pagou no início de abril ao RDIF cerca de US$ 79,6 milhões pela metade de um pedido de 16 milhões de doses do imunizante. No entanto, até agora apenas 150.000 doses dessa vacina chegaram em três remessas.

O primeiro envio de 50 mil doses, no dia 5 de maio, chegou depois de três atrasos e desde então o país não tem cronograma de entrega.

De acordo com o Ministério da Saúde, até o momento 122.712 pessoas receberam a primeira dose da Sputnik V.

Desde fevereiro, a Guatemala recebeu 1,2 milhão de doses de vacinas de diferentes laboratórios, 355.000 em doações de Israel, Índia e México.

A escassez da vacina gerou protestos contra o presidente Alejandro Giammattei, no início deste ano pressionado por manifestantes a renunciar, acusando-o de mal gerenciar a pandemia.

Embora a vacinação tenha começado há cinco meses com o pessoal médico da linha de frente e agora com idosos, o Ministério da Saúde registra apenas um esquema de vacinação completo para cerca de 158.000 pessoas e com uma dose para cerca de 925.300 cidadãos.

Giammattei atribui esses números à apatia dos idosos para irem aos postos de vacinação.

Até esta quarta-feira, a Guatemala registra 292.674 casos e 9.147 mortes pela covid-19.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?