Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Milhares de guatemaltecos protestam na praça central da capital para exigir a renúncia do presidente Otto Pérez

(afp_tickers)

Milhares de guatemaltecos ocuparam neste sábado a praça central da Cidade da Guatemala para exigir a renúncia do presidente Otto Pérez, acusado de liderar uma quadrilha que operava na alfândega.

Aos gritos de "corrupto", "Otto ladrão", "fora Otto" e "renúncia já", os guatemaltecos protestaram pacificamente apitando, soltando fogos e exibindo cartazes contra o atual governo.

A Procuradoria Geral e a Comissão Internacional contra a Impunidade na Guatemala (CICIG) apresentaram na véspera os resultados de uma investigação sobre o escândalo na alfândega, que aponta Pérez e a vice-presidente Roxana Baldetti como supostos líderes da quadrilha.

Baldetti está detida em um quartel militar da capital e na próxima segunda-feira deve prestar seu primeiro depoimento à Corte Suprema de Justiça.

Diante das evidências, a Procuradoria apresentou à Justiça um pedido para que possa denunciar o presidente pelos crimes de associação ilícita e corrupção passiva, o que em caso de renúncia implicaria em sua imediata detenção.

Paralelamente ao protesto, um grupo de 311 "notáveis" guatemaltecos entregou na Casa Presidencial uma carta na qual pedem a renúncia de Otto Pérez.

Apesar da agitação social e dos apelos por renúncia, o porta-voz da presidência, Jorge Ortega, afirmou neste sábado que Otto Pérez permanecerá no cargo até o final do mandato, em janeiro de 2016.

AFP