Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Vladimir Putin e Donald Trump em Hamburgo, Alemanha, no dia 7 de julho de 2017

(afp_tickers)

A embaixadora americana nas Nações Unidas, Nikki Haley, insistiu neste sábado que o presidente americano Donald Trump confrontou diretamente seu homólogo russo, Vladimir Putin, por ter interferido nas eleições dos Estados Unidos.

Haley acrescentou que "todo mundo sabe que a Rússia interferiu em nossas eleições", e assegurou que Trump tinha ido à reunião com Putin para "olhá-lo nos olhos e fazê-lo saber que sim, que nós sabemos o que ele fez e que é melhor deixar de fazer isso".

"Qualquer país deve saber que há consequências caso intervenha em nossas eleições. Por isso é importante que as investigações nesse sentido continuem", afirmou. Mas perguntada de que forma Moscou poderá ser sancionada disse "acho que vocês terão que perguntar ao presidente".

Ambas as partes deram versões muito distintas do que aconteceu na reunião entre os dois líderes em Hamburgo, Alemanha.

A Rússia negou ter interferido nas eleições americanas, "Tive a impressão de que minhas respostas o deixaram satisfeito" e que Trump "esteve de acordo comigo", disse Putin nesse sábado.

Haley disse que o fato de a Rússia ter desmentido os fatos era de se esperar. "A Rússia está tentando limpar a sua barra", disse à rede CNN. "E não podem. Eles não podem".

AFP