Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Passageira no aeroporto internacional Ben Gurion, próximo a Tel Aviv

(afp_tickers)

O movimento palestino Hamas classificou nesta quarta-feira de grande vitória o cancelamento de voos internacionais para Israel por temor de disparos de foguetes palestinos.

"O fechamento do espaço aéreo israelense é uma grande vitória para a resistência", declarou o porta-voz do Hamas, Sami Abu Zouhri, em um comunicado.

Um foguete disparado de Gaza caiu na terça-feira próximo ao aeroporto Ben Gurion de Tel Aviv, provocando a suspensão de voos das principais companhias aéreas americanas e europeias a partir e em direção a Israel, pela primeira vez desde a Guerra do Golfo (1990-1991).

A suspensão foi mantida nesta quarta-feira, 16º da ofensiva israelense lançada para parar os disparos de foguetes e destruir a rede de túneis do Hamas, que controla Gaza.

Desde o início da operação, em 8 de julho, cerca de 2.120 foguetes foram disparados contra Israel. Desses, 1.752 atingiram o território israelense e 433 foram interceptados pelo sistema antimíssil Iron Dome, segundo o Exército.

A ofensiva israelense já matou mais de 670 palestinos, a maioria civis, segundo a ONU.

Do outro lado, 34 israelenses foram mortos: 32 soldados em combates em Gaza e dois civis. Um terceiro civil, um estrangeiro cuja nacionalidade não foi revelada, também foi morto por um tiro palestino.

AFP