AFP

Localidade de Khan Yunis, no sul da Faixa de Gaza, em 6 de junho de 2017

(afp_tickers)

O movimento islamita palestino Hamas negou ter construído um túnel sob duas escolas da ONU em Gaza, o que gerou um forte protesto da Agência da ONU para os Refugiados Palestinos (UNRWA).

Os túneis construídos por combatentes de Hamas, que unem o enclave palestino ao território israelense com o objetivo de infiltrar comandos, são considerados por Israel como uma das principais ameaças contra sua segurança.

No dia 1 de junho, a UNRWA encontrou "parte de um túnel que passa sob duas escolas da agência no acampamento de Maghazi", quando realizava algumas obras.

A UNRWA condenou "da forma mais firme possível, a violação da nossa neutralidade", segundo afirmou na sexta-feira o porta-voz da agência, Christopher Gunness. Ele acrescentou que a UNRWA "tem a intenção de fechar o túnel".

O Hamas negou ter construído esses túneis e "condenou com força" essa declaração, assegurando que ela será explorada por Israel para "justificar seus crimes".

Cerca de trinta túneis foram descobertos e destruídos durante a última guerra de Israel contra o Hamas em 2014.

AFP

 AFP