Um helicóptero do Exército sírio foi derrubado nesta sexta-feira (14), na região noroeste do país, e os dois pilotos morreram.

Este foi o segundo incidente desse tipo na semana, em um momento de grande tensão entre Turquia e Síria.

Apesar das advertências da vizinha Turquia, o governo Bashar al-Assad, apoiado pela Rússia, retomou em dezembro a ofensiva no noroeste da Síria contra o último grande reduto dos jihadistas e rebeldes.

Nesta sexta-feira, as forças de Damasco conseguiram uma nova vitória com a reconquista de uma base militar perdida há mais de sete anos no oeste da província de Aleppo.

Nesta região, de acordo com uma fonte militar citada pela agência oficial de notícias síria Sana, o helicóptero foi atingido por um "míssil inimigo perto de Orum al-Kobra, onde estão mobilizados grupos terroristas apoiados pela Turquia".

"Isto provocou a queda do helicóptero e a morte de seus tripulantes", completou a fonte militar, sem divulgar um balanço preciso.

A ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) afirmou que o helicóptero foi alvo de um míssil das forças turcas na província de Aleppo.

"Os corpos dos dois pilotos foram encontrados", afirmou o diretor da ONG, Rami Abdel Rahman.

A Turquia não comentou o incidente, enquanto a agência oficial turca Anadolu informou a queda, mas sem fornecer detalhes.

Ancara, que está ao lado dos grupos rebeldes, mantém tropas no noroeste da Síria e enviou reforços nos últimos dias para impedir o avanço das forças do governo.

Na terça-feira, um helicóptero do Exército sírio foi abatido. Segundo o OSDH, o disparo foi lançado pelas forças turcas na província de Idlib, perto de Aleppo.

A imprensa turca culpou os grupos rebeldes pró-Ancara pelo acidente.

Ilustrando as tensões entre Damasco e Ancara, soldados turcos entraram em confronto com as forças sírias no noroeste no início de fevereiro.

Damasco insiste em recuperar o controle de toda província de Idlib, parcialmente dominada pelos extremistas da Hayat Tahrir al-Sham (HTS, ex-facção síria da Al-Qaeda), bem como setores adjacentes nas de Aleppo, Hama e Latakia.

Grupos rebeldes e outras facções jihadistas menos influentes também estão presentes nessas áreas.

Em seu avanço nesta sexta-feira, as forças do regime recuperaram a base 46, localizada 12 quilômetros a oeste da grande cidade de Aleppo, após intensos combates contra jihadistas e rebeldes, segundo o OSDH.

Membros das forças turcas estavam na base, mas se retiraram na quinta-feira.

Antes de cair nas mãos dos rebeldes em novembro de 2012, a base era, então, uma das últimas fortalezas do regime no noroeste.

A AFP viu insurgentes se estabelecerem lá depois de combates em que cerca de 150 soldados foram mortos, ou executados.

A progressão pró-regime tem como objetivo estabelecer "um cinturão de segurança" em torno de uma rodovia - ligando Aleppo à capital Damasco.

Com isso em mente, as forças do regime "devem conquistar as localidades de Orum al-Kobra e Kafr Naha", na província de Aleppo, a oeste da rodovia, completou o OSDH.

Estão a 2 km de Orum al-Kobra, e a menos de 5 km, da cidade de Atareb.

Na quinta-feira, um correspondente da AFP conseguiu filmar esta cidade na província de Aleppo, completamente deserta por seus habitantes depois do avanço do regime e de bombardeios mortais.

Desde dezembro, mais de 800.000 pessoas foram deslocadas pela violência na região, de acordo com a ONU. Mais de 380 civis foram mortos desde meados de dezembro, segundo o OSDH.

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.