Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Pessoas reunidas em frente ao monumento que recorda as vítimas da bomba atômica de Hiroshima

(afp_tickers)

Milhares de pessoas se reuniram nesta quarta-feira de manhã (horário local), em Hiroshima, para marcar o 69º aniversário do lançamento da primeira bomba atômica da História, que arrasou essa cidade do oeste do Japão.

Alguns sobreviventes, parentes de vítimas, autoridades do governo e delegações estrangeiras permaneceram imóveis às 8h15 (20h15 de Brasília), quando ressoou um sino que dava o sinal para guardar um minuto de silêncio na hora exata em que, em 6 de agosto de 1945, o bombardeiro americano "Enola Gay" largou a bomba que transformou a cidade em um inferno nuclear.

Cerca de 140 mil pessoas morreram imediatamente ou, pela exposição à radiação, entre o momento do impacto da bomba e o mês de dezembro seguinte.

Depos de Hiroshima, Nagasaki foi bombardeada, no dia 9 de agosto, o que provocou a morte de mais 70 mil japoneses. Os ataques precipitaram a capitulação do Japão e o final da Segunda Guerra Mundial, em 15 de agosto de 1945.

Militante infatigável do desarmamento nuclear, o prefeito de Hiroshima, Kazumi Matsui, convidou o presidente americano, Barack Obama, "e a todos os dirigentes das nações nucleares a visitar as cidades da bomba A o mais cedo possível".

AFP