Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Um holandês que reside na Espanha foi sequestrado e mantido como refém por 11 dias por uma quadrilha do Leste Europeu que o drogou e exigiu um resgate de 1,5 milhão de euros, informou a polícia nesta segunda-feira, ao anunciar a sua libertação

(afp_tickers)

Um holandês que reside na Espanha foi sequestrado e mantido como refém por 11 dias por uma quadrilha do Leste Europeu que o drogou e exigiu um resgate de 1,5 milhão de euros, informou a polícia nesta segunda-feira, ao anunciar a sua libertação.

O homem, que reside na cidade costeira catalã de Lloret de Mar, foi sequestrado em 12 de junho por homens disfarçados de policiais, de acordo com o comunicado de polícia regional catalã.

Os sequestradores, que o esperavam perto de sua casa, bateram, vendaram e o obrigaram a entrar no porta-malas de um veículo, segundo relatou a vítima após a libertação.

Sua esposa recebeu um telefonema do celular de seu marido em que os sequestradores pediam 1,5 milhão de euros em troca de sua libertação.

Durante seu cativeiro, o holandês foi mantido sob a influência de tranquilizantes e sedativos administrados pelo suposto líder do grupo, um romeno que estudou medicina em Madri.

Alertada pela família, a polícia identificou rapidamente o grupo e, em seguida, o local onde o refém era mantido em Casarrubios del Monte, 50 km ao sudeste de Madri.

As forças de segurança libertaram a vítima algumas horas antes do pagamento do resgate, marcado para ser realizado no estacionamento de um hotel localizado em uma estrada em 22 de junho.

Os sequestradores haviam amarrado a vítima em uma cadeira de rodas e tentavam colocá-lo na traseira de uma van, quando perceberam que eram observados, o que levou a polícia a lançar a operação de resgate.

Quatro pessoas foram presas e um quinto suspeito foi detido no dia seguinte.

AFP