Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Soldado vigia a Torre Eiffel

(afp_tickers)

O homem detido no sábado com uma faca aos pés da Torre Eiffel, que disse aos investigadores que pretendia "cometer um atentado contra um militar", foi internado em um hospital psiquiátrico, informou o Ministério Público de Paris.

"O psiquiatra diagnosticou um transtorno de discernimento e a detenção preventiva foi suspensa na segunda-feira à noite. O suspeito foi internado no estabelecimento em que estava hospitalizado anteriormente", afirma um comunicado.

O jovem francês de 19 anos, nascido na Mauritânia, sofre transtornos psiquiátricos diagnosticados em 2013. Passou vários meses internado à força na região de Paris.

A medida administrativa foi prolongada em 27 de julho por seis meses. O jovem tinha permissão de saída para encontrar a família quando seguiu até a Torre Eiffel no sábado à noite.

No local, ele empurrou um agente de segurança. Os soldados presentes na Torre Eiffel o cercaram e ordenaram que largasse a arma, o que ele fez sem atacar ninguém.

A unidade antiterrorista do MP de Paris abriu uma investigação por "associação terrorista com a intenção de cometer crimes contra pessoas" e por "tentativa de assassinato de pessoas da Autoridade Pública".

O suspeito afirmou durante um interrogatório que "queria cometer um atentado contra um militar e que estava em contato com um membro do grupo extremista Estado Islâmico (EI)", segundo uma fonte próxima à investigação.

AFP