Navigation

Homem mata cinco pessoas e suicida durante missa na catedral de Campinas

Trabalhadores municipais retiram corpos de vítimas da Catedral de Campinas, 90 km a noroeste de São Paulo, depois que um homem abriu fogo durante uma missa e matou pelo menos cinco pessoas antes de se suicidar afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 11. dezembro 2018 - 16:35
(AFP)

Um homem abriu fogo nesta terça-feira (11) em uma missa na Catedral de Campinas (90 km a noroeste de São Paulo) e matou pelo menos cinco pessoas antes de cometer suicídio, informaram a polícia e a imprensa local.

Outras quatro pessoas ficaram feridas no ataque, cujos motivos ainda são desconhecidos.

"Um individuo entrou numa igreja e efetuou disparos contra algumas pessoas. Até agora a informação é de seis óbitos e três feridos", informou a assessoria da Polícia Militar de São Paulo.

Além dele outras quase pessoas morreram e quatro ficaram feridas, segundo a PM.

Mais cedo a polícia tinha informado um balanço de seis mortos, incluindo o autor do ataque, mas corrigiu os dados em seguida.

O agressor, identificado como um analista de sistemas de 49 anos, sem antecedentes criminais, aguardou até o fim da missa para abrir fogo contra os fiéis na Catedral Metropolitana de Campinas, segundo a Polícia Civil.

Os mortos ainda não foram identificados.

Imagens das câmeras de vigilância da catedral exibidas na imprensa mostram o autor do ataque se levantar do banco em que estava sentado, à esquerda da igreja, e disparar contra os fiéis em fileiras próximas. Após uma primeira rajada, atravessa o corredor e volta a atirar.

No fim do vídeo, enquanto vários fiéis se abaixam para se proteger, dois policiais entram na catedral.

Após o ataque, que aconteceu por volta de 13h, imagens da televisão mostraram os paramédicos ajudando várias pessoas nas portas da catedral e vários carros da polícia na rua.

Uma fotografia mostrava o corpo do atirador, vestido de jeans e camisa azul, dentro da catedral com uma pistola na mão direita.

Em um vídeo gravado dentro da igreja pouco após o crime, o padre Amaury Thomazzi relatou que o agressor entrou no fim da missa que ele ministrava e deu mais de 20 tiros contra os fiéis.

Visivelmente comovido, um policial que chegou ao local pouco depois do ocorrido classificou o assassinato como "uma enorme tragédia".

A arquidiocese de Campinas indicou que "a catedral está fechada para prestar atendimento às vítimas" e facilitar a investigação.

"Contamos com as orações de todos neste momento de profunda dor", acrescentou.

Em 2 de dezembro, um indivíduo feriu quatro pessoas com arma branca durante um culto evangélico em um tempo em Aparecida de Goiânia, a 220 km de Brasília.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.