Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Um policial olha a câmera durante sua vigilância aos pedestres e ao tráfego, em Hong Kong, em 2 de agosto de 2014.

(afp_tickers)

Um homem de 30 anos, com a ajuda de um amigo, matou supostamente seus pais, os despedaçou, os cozinhou com sal e os colocou em uma lancheira como se fossem "carne para churrasco", indicou nesta quarta-feira a acusação durante o julgamento.

As cabeças de Chau Wing-ki, de 65 anos, e de sua esposa Siu Yuet-yee, de 62, foram encontradas em março em duas geladeiras de um apartamento repleto de sangue, dias após o desaparecimento.

Os outros pedaços dos corpos foram encontrados em uma lixeira, cozidos e guardados em lancheiras com arroz, em uma tentativa dos assassinos de acobertar o crime quando ficaram sem espaço na geladeira.

O filho de 30 anos, Henry Chau, se declarou inocente das duas acusações de assassinato nesta quarta-feira, segundo a imprensa, no segundo dia de seu julgamento e de seu suposto cúmplice, Tse Chun-kei.

O jornal South China Morning Post informou que Chau se declarou na terça-feira culpado de homicídio culposo por responsabilidade diminuída, ao mesmo tempo em que Tse, de 36 anos, negou as duas acusações de assassinato.

Os dois homens admitiram ter impedido um enterro decente do casal.

A promotoria afirma que Chau e Tse planejaram o assassinato durante meses, comprando facas, geladeiras, micro-ondas e uma panela de arroz.

Chau indicou inicialmente à polícia que seus pais haviam viajado à China continental, mas depois admitiu o assassinato em um grupo de mensagens na internet.

Segundo o texto lido nesta quarta-feira no tribunal da cidade, ele escreveu que planejou despistar a polícia para ganhar tempo e poder se despedir de seus amigos.

"Meu companheiro de assassinato e eu tínhamos planejado convertê-lo em um caso de desaparecimento e nos desfazer do corpo pedaço a pedaço", declarou em um grupo de mensagens.

Chau também admitiu ser um psicopata nas mensagens e indicou: "Não posso simpatizar com a dor das pessoas devido a minha experiência durante a infância e a adolescência".

Segundo o Post, Chau disse ter matado os pais com a ajuda de Tse em um ataque, mas a acusação considera que os assassinatos foram premeditados.

AFP