Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Logo da IBM é vista em São Francisco, no dia 7 de fevereiro de 2007

(afp_tickers)

A gigante da informática norte-americana IBM anunciou nesta quinta-feira que conseguiu fabricar microprocessadores com tecnologia de integração de apenas 7 nanômetros.

Os atuais microprocessadores integrados nos computadores pessoais, laptops e telefones celulares usam tecnologia de integração de entre 22 e 14 nanômetros.

Os microchips de 7 nanômetros permitirão responder às necessidades dos sistemas cognitivos que buscam emular o cérebro humano, dos supercomputadores dedicados a "Big Data", ou para obter informações em "nuvem", disse o grupo norte-americano em comunicado.

A invenção vem de um plano de investimentos anunciado no ano passado, chamado "Big Blue", que envolveu alocar 3.000 milhões de euros para o desenvolvimento de novas tecnologias e métodos de fabricação de microprocessadores.

Em sua corrida para produzir processadores cada vez mais finos, as gigantes da informática estavam encontrando obstáculos até agora com os materiais utilizados.

A comunidade científica sempre foi cética quanto à confiabilidade desses chips de silício. Para superar esses obstáculos, a IBM disse nesta quinta-feira que usou uma liga de silício e germânio.

Os pesquisadores da IBM trabalharam neste projeto em parceria com os grupos GlobalFoundries e Samsung.

AFP