A 4ª Turma do Tribunal Federal da Primeira Região, em Brasília, declarou inocente o empresário Bernardo Paz, idealizador e curador de um dos maiores museus a céu aberto do mundo, das acusações de lavagem de dinheiro, segundo informações da imprensa nesta quinta-feira (13) e do próprio Paz.

Milionário e criador de Inhotim, situado no estado de Minas Gerais, Paz foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) em 2013. Em 2017, foi condenado em primeira instância pela 4ª Vara da Justiça Federal em Belo Horizonte a nove anos e três meses de prisão.

O MP o denunciou por lavagem de dinheiro entre 2007 e 2008, "dissimulando a origem e a natureza de recursos provenientes da sonegação de contribuições previdenciárias".

Paz, cuja fortuna provém da indústria do minério de ferro e abriu Inhotim em 2006, sempre negou as acusações e disse se sentir aliviado com a decisão Tribunal Federal da Primeira Região (TRF1), em Brasília.

"Depois de dois anos de depressão, com vergonha de sair de casa, vejo a luz no fim do túnel", contou em entrevista ao jornal "O Estado de S. Paulo".

A AFP tentou confirmar oficialmente sua absolvição, mas o tribunal informou que os detalhes do caso estão sob segredo de Justiça.

A decisão de absolver o empresário foi unânime entre os três juízes de uma das cortes do TRF1, mas pode ser revista por instâncias superiores.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.