Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Homem acende vela em memorial feito em 2 de outubro de 2017 do lado de fora da estação de trens Saint-Charles, em Marselha, onde duas pessoas foram mortas no dia anterior

(afp_tickers)

O homem que matou no domingo duas mulheres na principal estação de trem de Marselha a facadas foi identificado por autoridades tunisianas como Ahmed Hanachi, 29 anos, anunciou nesta terça-feira o ministro do Interior francês, Gérard Collomb.

"Ao longo desses anos, tanto na França em 2005 e 2006 como na Itália, usou identidades distintas, dizendo que era marroquino, argelino ou tunisiano", explicou o ministro à Assembleia Nacional.

O assassinato das duas mulheres na estação central de Marselha (sul da França) foi reivindicado pelo grupo Estado Islâmico (EI). O agressor foi abatido no domingo por militares.

As vítimas do ataque foram duas mulheres de 20 anos, primas, uma delas oriunda de Lyon.

Uma das jovens, estudante de medicina em Marselha, tinha recebido a visita de sua prima e ambas se encontravam na estação de trem de Marselha quando foram assassinadas.

Em um contexto de contínua ameaça extremista na França desde 2015, os investigadores tentam determinar a personalidade do autor do ataque.

Na segunda-feira, o procurador encarregado da investigação, François Molins, revelou que o agressor havia sido detido dois dias antes em Lyon (centro-este) por roubo.

O agressor, estrangeiro e em situação irregular, era conhecido desde 2005 pelos serviços da polícia, sob sete identidades diferentes, por delitos de direito comum.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP