Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Criança beija imagem ortodoxa na Romênia, em 8 de setembro de 2014

(afp_tickers)

A Igreja Ortodoxa romena esteve envolvida nas últimas semanas em dois escândalos sexuais, dos quais o mais recente provocou a demissão de um dos ocupantes de um importante cargo após ser acusado de manter relações com um aluno, informaram meios de comunicação locais neste sábado.

É o primeiro caso deste tipo em um país no qual 85% da população se declara ortodoxa.

O Santo Sínodo se reuniu na quinta e sexta-feira para abordar o escândalo sexual vinculado ao bispo de Husi, Corneliu Barladeanu, do qual supostamente circula um vídeo em que mantém relações sexuais com um aluno do seminário.

De acordo com os meios de comunicação romenos, o aluno tinha 17 anos no momento dos supostos feitos.

O bispo defendeu a sua inocência, mas decidiu deixar o cargo na sexta-feira "pela paz e pelo bem da Igreja", anunciou um comunicado do Patriarcado romeno.

Barladeanu não terá mais um cargo oficial na Igreja, mas continuará como monge, sem poder celebrar missas.

Outro sacerdote do noroeste da Romênia foi expulso definitivamente da Igreja Ortodoxa no fim de julho por tentar convencer um jovem de 17 anos a manter relações sexuais com ele.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP