Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Fevereiro) Migrantes no porto da ilha italiana de Lampedusa

(afp_tickers)

Os imigrantes em situação regular na Itália geram um Produto Interno Bruto (PIB) maior que o de países como a Hungria, de acordo com um estudo publicado nesta quarta-feira em Roma.

Os quase cinco milhões de migrantes que vivem na Itália geraram em 2016 cerca de 131 bilhões de euros do PIB total da Itália, que é de 1,67 trilhão, de acordo com o relatório anual sobre a economia da imigração da Fundação Leone Moressa.

A título de comparação, o PIB da Hungria é de 112 bilhões de euros.

"Com este relatório queremos eliminar o preconceito e permitir um debate objetivo com base em fatos e dados", declarou o diretor científico da fundação, o professor de economia Stefano Solari, que baseou as suas conclusões em dados do Banco Mundial e do Instituto Italiano de Estatísticas.

Na Itália, "a presença de imigrantes representa uma força de trabalho indispensável em muitos setores", de acordo com o estudo, e lembra que é "um país envelhecido, com sete nascimentos por 11 mortes por mil habitantes".

Em setores como construção, restauração e agricultura, os imigrantes representam entre 17% e 18% da força de trabalho, embora representem apenas 8,3% da população.

Além disso, em 2016, 571.255 empresas eram lideradas por estrangeiros, 25,8% a mais do que em 2011, de acordo com o relatório.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP