AFP

A China deixou de importar carvão norte-coreano em 18 de fevereiro

(afp_tickers)

As importações chinesas provenientes da Coreia do Norte aumentaram quase 20% no primeiro trimestre do ano, apesar das sanções internacionais contra Pyongyang e da suspensão das compras de carvão, o que relativiza a pressão que a China exerce sobre seu vizinho.

O montante total das importações da China, principal parceiro econômico da Coreia do Norte, alcançou 3,44 bilhões de iuanes (500 milhões de dólares) nos primeiros três meses do ano, indicou a administração Aduaneira chinesa.

Trata-se de um aumento de 18,4% ao ano, destacou Huang Songping, porta-voz da instituição, sem divulgar os números específicos de março.

A China deixou de importar carvão norte-coreano em 18 de fevereiro, endurecendo sua posição depois de um novo teste de míssil realizado pela Coreia do Norte.

China e Coreia do Norte "mantêm relações comerciais normais, mas fazemos isso respeitando as resoluções do Conselho de Segurança da ONU", declarou nesta quinta-feira Lu Kang, um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores.

A interrupção total de compras de carvão tem por objetivo privar a Coreia do Norte de uma fonte crucial de divisas.

AFP

 AFP