Navigation

Imprensa francesa contra-ataca e acusa Google de eludir a lei

A imprensa francesa anunciou que está processando o Google ante a autoridade da concorrência da França, devido a sua recusa a pagar pela publicação de conteúdos, em desafio a uma nova legislação europeia sobre os direitos conexos afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 24. outubro 2019 - 22:50
(AFP)

A imprensa francesa lançou nesta quinta-feira seu contra-ataque contra a Google, ao anunciar que está processando o gigante americano ante a autoridade da concorrência na França por sua recusa a pagar pela publicação de conteúdos, em desafio a uma nova legislação europeia sobre os direitos conexos.

Esta ação coletiva foi anunciada pelo diretor da Dépêche du Midi e presidente da Aliança da imprensa de informação geral, principal organização do setor, Jean-Michel Baylet.

"Ninguém pode violar a lei, e é isso que a Google faz", afirmou Baylet em coletiva de imprensa, rodeado pelos diretivos do setor, que agrupa dezenas de jornais locais, regionais e nacionais franceses.

A Agência France-Presse (AFP), que não faz parte desta aliança, prepara um processo, indicou a direção da AFP.

O objeto da discórdia é o chamado "direito conexo", similar ao direito autoral e criado em benefício dos editores de imprensa e agências de imprensa por uma diretiva europeia votada no início do ano.

A França é o primeiro país da UE a aplicar este direito, que permite aos editores de jornais negociar com os gigantes digitais uma remuneração pela reutilização de seus conteúdos na rede.

Este direito gera uma intensa batalha de lobbies em Bruxelas, levando ao confronto entre o Google e a imprensa francesa.

Mas apesar da entrada em vigor dos "direitos conexos", a Google aplicou um novo dispositivo de forma unilateral, eludindo a norma europeia.

Segundo esse dispositivo, os veículos de mídia franceses se verão obrigados a permitir que o gigante americano utilize de forma gratuita trechos de seus conteúdos, e caso contrário suas informações serão menos visíveis nos resultados do motor de busca, o que fará com que caia o número de internautas que visitam suas páginas.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.