Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Manifestante com um boné do presidente sírio, Bashar al-Assad, protesta contra a participação do Reino Unido nos bombardeios na Síria em 16 de abril de 2018, em Londres

(afp_tickers)

A imprensa estatal síria se retratou nesta terça-feira depois de ter anunciado a interceptação de mísseis pela defesa antiaérea durante a noite na província de Homs.

"Um falso alerta relacionado a uma violação do espaço aéreo durante a noite acionou as sirenes da defesa antiaérea", afirmou a agência oficial síria SANA, que citou uma fonte militar.

"Não aconteceu um ataque externo contra a Síria", completou a agência.

Algumas horas antes, a televisão síria havia classificado de "agressão" a entrada de mísseis no espaço aéreo de Homs, sem informar que seria responsável pelos ataques.

Um porta-voz militar israelense reagiu às informações e disse que não estava a par de nenhum incidente.

O "falso alerta" aconteceu em um momento de tensão, três dias depois do ataque dos Estados Unidos, Reino Unido e França contra alvos do governo sírio, uma represália a um suposto ataque químico contra rebeldes na cidade de Duma, Ghuta Oriental, em 7 de abril.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP