Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A múmia de Ötzi, "o Homem do Gelo", em Bolzano, Itália, no dia 20 de abril de 2016

(afp_tickers)

Uma grupo de cientistas apresentou nesta quarta-feira uma réplica feita com uma impressora em 3D em tamanho natural de Ötzi, "o Homem do Gelo", uma múmia de 5.300 anos, cujo corpo foi encontro nos Alpes em 1991.

A múmia de Ötzi, que se caracteriza por um grau de conservação notável, foi fielmente reconstruída à base de resina por uma impressora 3D que utilizou técnicas de tomografia.

Depois, os modelos foram pintados à mão pelo artista americano Gary Staab, segundo um comunicado do Museu Arqueológico de Bolzano, na Itália, perto da fronteira com a Áustria.

"A reconstrução das mãos, que não tinham sido capturadas pelo escâner, foi um verdadeiro desafio", anunciou o museu, que abriga tanto a múmia original quanto as suas réplicas.

Uma das cópias vai fazer parte de uma exibição itinerante que começará no Museu de Ciências Naturais de Raleigh, nos Estados Unidos.

As outras duas serão utilizadas para ensino no laboratório genético de Cold Spring Harbor DNA Learning Center (DNALC), em Nova York.

Em 1991, a descoberta de Ötzi por dois alpinistas em uma geleira entre a Áustria e a Itália a 3.210 metros de altura se tornou uma sensação arqueológica.

O estudo da múmia segue sendo fonte de numerosas descobertas.

Roupas e equipamentos encontrados no local, incluindo um machado e uma mochila, assim como as bactérias presentes no estômago de Ötzi, o seu DNA e suas 61 tatuagens ofereceram aos cientistas conhecimentos altamente valiosos sobre a vida humana da época.

Ötzi morreu de forma violenta, atingido por uma flecha, quando tinha em torno de 45 anos. Ele tinha 1,60 metro de altura, pesava 50 quilos, tinha olhos castanhos e intolerância à lactose.

AFP