Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Mulheres sobreviventes de ataques com ácido em uma aula de yoga na Índia, no dia 14 de junho de 2015

(afp_tickers)

Uma mulher que sobreviveu a um suposto estupro coletivo e a quatro ataques diferentes com ácido voltou a sofrer os efeitos da substância corrosiva - informou a Polícia indiana neste domingo (2).

A vítima, uma mãe indiana de 35 anos, encontrava-se em um abrigo para mulheres em Lucknow, capital do estado de Uttar Pradesh, quando um homem pulou o muro do local e a atingiu novamente com ácido.

"Estava enchendo água com a bomba manual quando o ataque aconteceu. O responsável fugiu do lugar" e está sendo procurado, disse à AFP o chefe da Polícia local, Vivek Tripathi.

A mulher, cuja identidade foi mantida sob sigilo por motivos de segurança, sofreu queimaduras no rosto e nos ombros e está recebendo cuidados médicos.

Por causa dos ataques anteriores, ela contava com proteção policial 24 horas por dia, mas a entrada do policial armado que a acompanhava não havia sido permitida no abrigo de mulheres.

Em 2008, a indiana teria sofrida um estupro coletivo e um ataque com ácido por parte de dois homens, devido a uma disputa por propriedades.

Em 2012 e 2013, ela foi duas vezes atacada pelos mesmos homens, na tentativa de intimidá-la e fazê-la retirar as acusações contra eles.

Em março deste ano, os acusados forçaram-na a beber ácido durante uma viagem de trem que ela fazia com uma de suas filhas.

Os dois homens estão sendo processados por todos os ataques cometidos. Ainda assim, foram soltos sob fiança em abril.

AFP