AFP

(Arquivo) A United Airlines explicou que havia pedido que passageiros voluntários cedessem seus assentos em um voo na noite de domingo

(afp_tickers)

Muitos internautas da China acusaram nesta terça-feira a companhia aérea United Airlines de ser "racista", depois que um passageiro de origem chinesa foi obrigado a abandonar um voo operado pela empresa nos Estados Unidos devido ao "overbooking".

Em vídeos publicados on-line por outros passageiros presentes no avião é possível ver policiais retirando à força um homem de seu assento e arrastando-o até a saída. O viajante expulso tinha o rosto ensanguentado e os óculos amassados.

A United Airlines explicou que havia pedido que passageiros voluntários cedessem seus assentos em um voo na noite de domingo que cobria a rota entre Chicago (norte) e Louisville (centro-leste) devido a um "overbooking". Na falta de voluntários, a companhia designou quais passageiros deveriam abandonar o voo.

"Desculpo-me por ter tido que realocar estes clientes" em outros voos, declarou o diretor-geral, Oscar Munoz, em um comunicado publicado no site da companhia aérea na segunda-feira, sem se desculpar por esta expulsão forçada.

O incidente provocou um afluxo de 60.000 comentários na China no Weibo, uma rede social parecida com o Twitter.

"A empresa tem que se explicar sobre estas tendências racistas", considerava um usuário.

"Existe uma longa história de discriminação contra os asiáticos" nos Estados Unidos, acrescentou outro.

AFP

 AFP