Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Uma grande operação internacional contra o tráfico de medicamentos falsificados levou à prisão de 393 suspeitos e à apreensão de milhões de produtos potencialmente perigosos, avaliados em 46,8 milhões de euros

(afp_tickers)

Uma grande operação internacional contra o tráfico de medicamentos falsificados levou à prisão de 393 suspeitos e à apreensão de milhões de produtos potencialmente perigosos, avaliados em 46,8 milhões de euros, anunciou a Interpol nesta quinta-feira.

A nona operação "Pangea", composta por policiais de 193 países, permitiu, de 30 de maio a 7 de junho, a apreensão de cerca de 12,2 milhões de medicamentos falsificados - tratamentos falsos de câncer, testes defeituosos para HIV ou diabetes, material odontológico falso e equipamentos cirúrgicos - e o fechamento de 4.932 sites que ofereciam estes produtos.

A organização policial internacional com sede em Lyon (leste da França) disse em um comunicado que foram lançadas cerca de 700 investigações em todo o mundo.

Na Hungria, por exemplo, a polícia local apreendeu cerca de 65.000 comprimidos de medicamentos antiansiedade, escondidos em um pneu sobressalente e no assento traseiro de um carro, um modus operandi semelhante ao tráfico de drogas, segundo a Interpol.

Na Austrália, a polícia descobriu e fechou um laboratório clandestino que fabricava esteroides.

Em 2015, a Operação Pangea VIII levou à apreensão de mais de 20 milhões de medicamentos falsificados no valor de 81 milhões de dólares (71 milhões de euros) e à prisão de 156 pessoas em todo o mundo.

AFP