Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O ministro francês do Interior, Gérard Collomb

(afp_tickers)

Uma das cinco pessoas detidas no sábado em Paris após a descoberta de uma bomba de fabricação caseira em um edifício estava fichada como militante islamita radicalizado, anunciou nesta terça-feira o ministro francês do Interior.

"Entre as pessoas detidas, uma estava no arquivo FSPRT, o que significa radicalizado", declarou o ministro Gérard Collomb à rádio France Inter.

Cinco pessoas foram detidas e estão sendo interrogadas após a descoberta de um explosivo em um edifício do distrito 16 de Paris, um dos mais ricos da cidade, informou uma fonte da investigação.

A unidade antiterrorista do Ministério Público de Paris abriu uma investigação por "associação terrorista criminal, tentativa de destruição por um meio perigoso relacionado com uma atividade terrorista e tentativa de assassinato relacionada com um ato terrorista".

O artefato constava de vários cilindros de gás ao redor dos quais foi derramado combustível. A bomba seria acionada por um mecanismo confeccionado com um telefone celular.

Em setembro de 2016 a polícia encontrou um sistema similar perto da catedral de Notre Dame de Paris. O plano de atentado fracassou e a polícia prendeu algumas mulheres jihadistas.

A França está em alerta máximo desde janeiro de 2015 por uma série de atentados jihadistas.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP