AFP

Oficiais da polícia militar procuram por foragidos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim, em Manaus, no dia 2 de janeiro de 2017

(afp_tickers)

Autoridades brasileiras investigavam nesta sexta-feira a morte de seis presos em uma penitenciária de Manaus, no Amazonas, local onde houve uma rebelião no início deste ano.

As mortes ocorreram nesta sexta-feira na Unidade Prisional de Puraquequara, nos arredores de Manaus, e "não houve nenhum motim ou rebelião", explicou a Secretaria que administra as prisões do Amazonas, que não detalhou como morreram os presos.

O seis mortos estavam em celas separadas, exceto dois deles, que dividiam o mesmo espaço, detalhou a Secretaria.

A polícia estava interrogando "detentos que residem nas celas onde ocorreram os crimes", acrescentou.

A guerra pelo controle do tráfico de cocaína entre facções rivais deixou cerca de 140 mortos nas prisões do Brasil desde o início do ano, muitos deles decapitados.

Os principais massacres aconteceram em Manaus (56 mortos), Roraima (33 mortos), e Natal (26 mortos).

O Brasil, com 622.000 presos em 2.766 unidades, tem a quarta maior população carcerária do mundo, segundo dados oficiais.

A superpopulação nas prisões, muitas vezes insalubres e que operam em 167% de sua capacidade, é vista pelos especialistas como uma situação propícia para o domínio do tráfico, que tem nos presídios seus centros de operação.

AFP

 AFP