Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O diretor da Organização Iraniana de Energia Atômica (OIEA), Ali Akbar Salehi

(afp_tickers)

O Irã poderia retomar a produção de urânio altamente enriquecido se os Estados Unidos abandonarem o acordo nuclear, advertiu nesta terça-feira o diretor da Organização Iraniana de Energia Atômica (OIEA).

"Se tomarmos a decisão, podemos iniciar um enriquecimento de 20% (na central nuclear de) Fordo dentro de cinco dias", afirmou Ali Akbar Salehi no canal estatal Irib.

Quando o urânio está altamente enriquecido pode ser utilizado na fabricação da bomba atômica. Com um enriquecimento menor, serve de combustível para as centrais de energia elétrica.

"Claro que não gostaríamos que isto acontecesse porque nos esforçamos muito para alcançar o acordo nuclear", completou.

Assinado em julho de 2015 entre Teerã e as grandes potências, o acordo prevê que o Irã limite seu programa nuclear a fins civis em troca de uma retirada progressiva das sanções internacionais.

O presidente americano Donald Trump, hostil ao acordo - negociado por seu antecessor democrata, Barack Obama - ameaçou em várias ocasiões romper o pacto. Também impôs uma série de sanções jurídicas e financeiras ao Irã recentemente, não vinculadas às atividades nucleares.

Teerã já havia ameaçado na semana passada abandonar rapidamente o acordo nuclear se o governo dos Estados Unidos prosseguisse com a "política de sanções".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP