Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Caminhão militar desfila em Teerã, em 18 de abril, Dia do Exército

(afp_tickers)

O Irã testou seu novo sistema antimísseis Bavar 373, comparável ao S-300 russo, que será entregue às forças armadas até março de 2018, com a televisão estatal exibindo ainda uma base "secreta" de drones de observação e combate.

"Todo o sistema está completo e os testes realizados", anunciou, neste domingo, o comandante da defesa antiaérea, o general Farzad Esmaïli, citado pelo site da televisão estatal.

"Este sistema é totalmente fabricado no Irã e algumas partes são diferentes do S-300", acrescentou, ressaltando que os iranianos querem usá-lo "em paralelo ao S-300 russo".

O Irã decidiu embarcar no projeto de construção do Bavar 373 quando a Rússia suspendeu, em 2010, um contrato concluído três anos antes para fornecer o sistema S-300.

Esta suspensão do contrato se deveu às sanções impostas pela ONU para pressionar Teerã, acusado de procurar adquirir armas nucleares, a cessar suas atividades nucleares sensíveis.

Mas a conclusão, em julho de 2015, de um acordo histórico entre o Irã e as grandes potências levou ao levantamento gradual das sanções depois que Teerã se comprometeu a garantir a natureza exclusivamente pacífica de seu programa nuclear.

Neste contexto, Moscou voltou a autorizar a entrega dos componentes do sistema S-300 e o dispositivo foi instalado no território iraniano, em particular para proteger sítios nucleares.

O Irã mostrou, pela primeira vez, em agosto de 2016, seu sistema de defesa antiaérea Bavar 373, atestando sua determinação em desenvolver suas capacidades militares, apesar das preocupações do Ocidente.

Os Estados Unidos e os países europeus (França, Reino Unido e Alemanha) pedem ao Irã que não desenvolva seu programa de mísseis.

No sábado, o novo ministro da Defesa, o general Amir Hatami, disse que o Irã tinha "um plano específico para desenvolver a capacidade de mísseis" do país.

"Se Deus quiser, as capacidades de combate dos mísseis balísticos e de cruzeiro do Irã aumentarão num futuro próximo", disse ele.

Essas declarações ocorrem em um contexto de crescente tensão entre Washington e Teerã.

Após as recentes sanções dos Estados Unidos contra o Irã, o Parlamento iraniano votou, em meados de agosto, um aumento significativo dos recursos financeiros destinados ao programa balístico da República Islâmica.

Também neste domingo, a televisão iraniana mostrou imagens de uma base "secreta" com dezenas de drones operacionais e de observação, localizada no meio do deserto iraniano.

"Se necessário, um número considerável de águias rápidas (drones) atingirá o inimigo", declarou o general Esmaïli a partir desta base.

Os Estados Unidos disseram que em agosto dois incidentes foram evitados por pouco entre drones iranianos e as forças navais americanas na região do Golfo.

O Irã desenvolveu nos últimos anos muitos drones de ataques e observação, um programa regularmente criticado pelos Estados Unidos.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP