Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Prédios em Bagdá onde um cafetão explorava dezenas de mulheres

(afp_tickers)

O número de mortos no ataque a dois edifícios usados ​​para prostituição em Bagdá aumentou para 31, informou o porta-voz do Ministério do Interior, Saad Maan.

O último balanço era de 27 vítimas.

Homens armados atacaram sábado à noite dois edifícios no bairro residencial de Zayuna, conhecido por ser um local de prostituição, onde um cafetão explorava cerca de 60 mulheres.

Fotos obtidas pela AFP, tiradas logo após o massacre, mostram o cadáver de um homem, identificado por fontes policiais como o cafetão, em meio a uma poça de sangue, ao lado de um outro homem, um suposto capanga.

Os dois homens, únicas vítimas do sexo masculino, tinham, aparentemente, as mãos amarradas atrás das costas.

Uma outra imagem mostra os corpos de cinco mulheres amontoados em um canto do banheiro, paredes e chão manchados de sangue, onde as vítimas parecem ter tentado se esconder, com as mãos na cabeça em uma tentativa de se proteger de seus atacantes.

Em outra foto, corpos, alguns vestidos de cores brilhantes, outros de preto, estão alinhados em uma sala onde o chão está encharcado de sangue.

A polícia e o exército bloqueiam o acesso à única estrada que conduz aos edifícios 43 e 44, onde o massacre ocorreu.

Segundo os moradores do bairro, o cafetão, que se chamava Aws, era uma importante figura local que comprava agentes da segurança e que por isso conduzia seus negócios no mesmo bloco de construção há anos.

AFP