Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Iraquianos observam carros destruídos por explosão de motocicleta em Kirkuk, em 10 de julho de 2014.

(afp_tickers)

O ministério do Petróleo iraquiano acusou nesta sexta-feira combatentes curdos, os Peshmergas, de terem se apoderado de dois campos petrolíferos perto da cidade disputada de Kirkuk, no norte do país.

"O ministério do Petróleo condena firmemente a tomada de poços petrolíferos nos campos de Kirkuk e Bey Hasan nesta manhã por parte de grupos de combatentes curdos", afirmou em um comunicado.

Estes campos petrolíferos produzem juntos cerca de 400.000 barris diários, segundo um porta-voz do ministério.

Até o momento não foi possível contactar as autoridades da região autônoma do Curdistão iraquiano.

Estas acusações marcam uma nova escalada nas tensões entre Erbil e Bagdá, que contribuíram recentemente para o fracasso na formação de um governo de unidade nacional.

Aproveitando a retirada do exército iraquiano diante da ofensiva lançada em junho pelos insurgentes sunitas, as forças curdas tomaram o controle de territórios disputados com Bagdá.

Erbil afirmou que não os devolverá e anunciou a realização de um referendo sobre a independência da região.

As autoridades curdas pediram na quinta-feira a renúncia do primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki, classificando-o de histérico depois de ter acusado a província autônoma de ser o quartel-general dos insurgentes.

"O ministério do Petróleo adverte firmemente a região do Curdistão sobre o risco de seu comportamento irresponsável que viola a Constituição e a riqueza nacional, despreza as autoridades federais e ameaça a unidade nacional", acrescenta o comunicado.

AFP