Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O Iraque enforcou no domingo 42 condenados à morte, informou o Ministério da Justiça em comunicado

(afp_tickers)

O Iraque enforcou no domingo 42 condenados à morte, informou nesta segunda-feira o Ministério da Justiça em comunicado.

Entre os condenados, havia acusados de estupro, assassinato e atentados.

As execuções aconteceram na prisão de Nassiriya (sul) após a confirmação do verdito e por decisão do Conselho Presidencial, que deve dar seu aval para as penas de morte, explica o comunicado.

As famílias das vítimas foram autorizadas a assistir as execuções.

A ONG Anistia Internacional (AI) denunciou em um comunicado a "manifestação chocante do recurso pelas autoridades iraquianas à pena de morte para mostrar que estão respondendo às ameaças de segurança".

"Aplicar penas de morte não é a solução e não vai tornar o país mais seguro", declarou Lynn Maalouf, diretora de pesquisa para o Oriente Médio da organização.

Segundo a ONG, o Iraque é um dos países que mais realiza execuções, atrás da China, Irã e Arábia Saudita.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP