Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Ministro das Relações Exteriores iraquinao Ibrahim al-Jafaari pediu que ONU investigue o grupo Estado Islâmico

(afp_tickers)

O Iraque pediu à ONU que o ajudasse a reunir provas de crimes cometidos pelo grupo Estado Islâmico e disse que trabalha com a Grã-Bretanha para elaborar uma resolução do Conselho de Segurança para estabelecer uma investigação.

Em uma carta datada de 9 de agosto, mas divulgada à imprensa nesta quarta-feira, o ministro iraquiano das Relações Exteriores, Ibrahim al-Jafaari, felicitou o exército de seu país por suas "brilhantes conquistas militares" contra o grupo, que já controlou vastas partes do território iraquiano e que, segundo disse, é culpado por "crimes contra a humanidade."

O Iraque solicitou assistência da comunidade internacional para investigar os crimes do grupo EI. "A este respeito, a República do Iraque e o Reino Unido estão trabalhando em um projeto de resolução", disse o chanceler na declaração em língua inglesa.

O vice-embaixador do Reino Unido, Jonathan Allen, confirmou a mudança, acrescentando: "Nós vamos trabalhar com eles e com os nossos parceiros no Conselho de Segurança para apresentar uma resolução que vai conseguir exatamente isso, não deixando nenhum esconderijo para o Daesh em qualquer lugar", usando o acrônimo árabe para o grupo.

Ele não disse quando o projeto de resolução será apresentado.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP