Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Estragos causados pelo furacão Irma, em St. Martin, em 7 de setembro de 2017

(afp_tickers)

O devastador furacão Irma deixou pelo menos oito mortos e 21 feridos em sua passagem pela ilha caribenha franco-holandesa de St. Martin - anunciaram os serviços de socorro franceses, nesta quinta-feira (7).

A ministra francesa de Ultramar, Annick Girardin, está na ilha de Guadalupe, à qual St. Martin é subordinada em termos administrativos.

Os "reforços humanos e materiais" incluem um efetivo de cerca de 200 pessoas, entre socorristas, militares, bombeiros e médicos.

Também há cães, "porque, infelizmente, vamos ter trabalho em St. Barts [uma ilha francesa vizinha de St. Martin], onde os danos são muito grandes", declarou Girardin.

A ministra comemorou que parte da pista do aeroporto de San Martín tenha sido reaberta, o que permitirá a chegada de um avião militar de reconhecimento.

Hoje, será aberta uma ponte aérea entre St. Martin e Guadalupe "para trazer o necessário e, ao mesmo tempo, transladar feridos", completou Girardin.

Em declarações a uma rádio, o ministro francês do Interior, Gérard Collomb, advertiu que "os números vão, evidentemente, mudar durante o dia" e que as informações são, por enquanto, "parciais", em função das dificuldades de comunicação entre St. Martin e St. Barts.

Do outro lado, o furacão Irma arrasou o aeroporto e o porto, deixando "inacessível" essa parte da ilha, declarou o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte.

"A ilha não está acessível neste momento, devido aos enormes danos no aeroporto e no porto", disse Rutte aos jornalistas, acrescentando que ainda não há informações de mortos na parte holandesa.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP