Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Pessoas se divertem na praia de Ostia, nas proximidades de Roma, no dia 22 de julho de 2017

(afp_tickers)

A Justiça da Itália abriu uma investigação nesta quinta-feira (9) após um repórter da televisão pública italiana RAI ter sido agredido pelo o irmão de um chefe da máfia de Ostia, a praia de Roma.

O jornalista apanhou de Roberto Spada, irmão de Carmine Spada, líder de uma das famílias mafiosas que dominam a área, que cumpre uma pena de 13 anos de prisão por extorsão e violência.

O caso desatou uma onda de indignação em toda a Itália, começando pelo chefe de governo, Paolo Gentiloni, que ligou para o jornalista para expressar sua solidariedade.

Ao fim de uma entrevista sobre o apoio da família Spada ao partido fascista Casa Pound nas polêmicas eleições locais, o mais jovem da família deu uma cabeçada inesperada no repórter, fraturando seu nariz, e depois bateu nele com um porrete.

"Me atingiu porque estava fazendo perguntas sobre Ostia", contou o jornalista, Daniele Piervincenzi, de uma transmissão especializada em investigações.

"É verdade que com o apoio de Spada, o Casa Pound pode mudar a cara de Ostia?", perguntou o repórter.

Esta pergunta suscitou a ira de Spada, já que o Conselho Municipal de Ostia, a praia dos romanos a 20 quilômetros da capital, um distrito de 250.000 habitantes, foi dissolvido há dois anos por estar infiltrado pela máfia.

Além disso, a ultradireita, publicamente fascista, apoiada pela família Spada, alcançou inéditos 9% no primeiro turno das eleições locais de domingo, o que gerou muitas interrogações, já que se trata de um local onde reina a corrupção, a venda de drogas e as barraquinhas ilegais.

"Depois de ter repetido mil vezes que não concedo entrevistas, não aguentei mais", comentou Spada, que foi detido nesta quinta-feira por lesões e violência com método mafioso.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP