Navigation

Itália iniciará 'campanha de vacinação sem precedentes' contra a covid-19

Voluntários participam do teste da vacina contra a covid-19 da farmacêutica Moderna em Detroit, Michigan, Estados Unidos, em 5 de agosto de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 21. novembro 2020 - 16:51
(AFP)

A Itália iniciará no final de janeiro uma "campanha de vacinação sem precedentes" começando pelos grupos da população mais expostos à covid-19, anunciou neste sábado (21) o ministro italiano da Saúde, Roberto Speranza.

A campanha "ocorrerá até o final de janeiro, quando esperamos receber as primeiras doses destinadas às categorias mais expostas", declarou o ministro no Congresso de Farmacêuticos italianos.

Esta "campanha de vacinação sem precedentes exigirá uma mobilização extraordinária de todas as forças presentes", estimou.

Enquanto o movimento contra a vacinação conta com vários seguidores na Itália, o ministro lembrou que "as vacinas representam um grande passo adiante na história da humanidade".

Na sexta-feira, o comitê técnico-científico, organismo público encarregado de assessorar o governo em sua política de combate à pandemia, lembrou que "a presença da agência italiana de medicamentos e das agências reguladoras internacionais nos dá garantias sobre a segurança das vacinas".

Segundo uma pesquisa do instituto Ipsos para o canal de televisão La7, divulgada na terça-feira, 16% dos italianos entrevistados afirmam que rejeitarão a vacina que estará disponível em 2021 e 42% espera para se vacinar medindo primeiro sua eficácia.

Apenas um terço deles respondeu se vacinará "sem dúvida alguma quando estiver disponível". Além disso, 58% considera que não haverá doses suficientes para todos.

Itália, o primeiro país europeu duramente afetado pela primeira onda do coronavírus, registrou até agora ao menos 1,34 milhão de casos, dos quais mais de 48.000 morreram.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.