AFP

Uma italiana de 35 anos simulou estar grávida e comprou por 20.000 euros o bebê que uma jovem romena havia acabado de dar à luz, mas o devolveu três dias depois por ser mestiço, informou neste sábado a imprensa italiana

(afp_tickers)

Uma italiana de 35 anos simulou estar grávida e comprou por 20.000 euros o bebê que uma jovem romena havia acabado de dar à luz, mas o devolveu três dias depois por ser mestiço, informou neste sábado a imprensa italiana.

Ambas as mulheres e um homem de origem marroquina, que foi o intermediário, foram presos.

Os investigadores foram alertados por um agente da cidade de Latina, ao sul de Roma, pois as mulheres haviam feito uma ligação para as autoridades em fevereiro com a intenção de saber como poderiam registrar um bebê nascido em casa, mas não compareceram ao local no dia marcado.

Quando a polícia pediu explicações da "falsa" mãe, ela confessou que seu companheiro estava na prisão e havia tido dois abortos, por isso comprou na internet cintas de látex para simular uma gravidez.

Ao descobrir que o bebê era mestiço, não soube como explicar para as pessoas próximas a cor da pele de sua suposta filha.

A mãe biológica, por sua vez, explicou que não queria ficar com a criança, fruto de uma rápida relação com um malinês. Foi por conta dele, que trabalha em Roma, que os agentes conseguiram achar o bebê.

A criança foi entregue a religiosas para ser adotada, mas poderá ser devolvida ao pai biológico se ele decidir reconhecê-la.

AFP

 AFP