AFP

O comediante Bill Cosby chega ao tribunal de Montgomery, em Norristown, em 13 de junho de 2017

(afp_tickers)

O júri do processo contra Bill Cosby retomou nesta terça-feira as deliberações para decidir se o famoso comediante americano é inocente ou culpado de uma suposta agressão sexual cometida há 13 anos.

Em um dos maiores julgamentos de uma celebridade nos Estados Unidos em muitos anos, Cosby, pioneiro ator negro de 79 anos, pode enfrentar uma pena máxima de 10 anos de prisão por cada uma das três acusações de agressão sexual agravada e uma multa de 25.000 dólares.

Os 12 membros do júri - sete homens e cinco mulheres, com apenas dois afro-americanos - permanecem isolados entre o tribunal e o hotel desde o início do julgamento, há nove dias.

Na segunda-feira, deliberaram durante quatro horas, até o início da noite, e nesta terça-feira retomaram as discussões pouco depois das 09H00 locais (10H00 de Brasília) no tribunal do condado de Montgomery, em Norristown, na Pensilvânia.

Cosby, que permaneceu durante toda a segunda-feira na corte, retornou ao tribunal nesta terça para aguardar o veredito usando terno e gravata.

Qualquer que seja a decisão, o julgamento marca a queda em desgraça de um ator venerado por várias gerações de americanos por seu papel como Cliff Huxtable, um afável ginecologista e pai benevolente, em "The Cosby Show".

Em sua alegação final, a promotoria pintou o ator como um predador sexual que drogou deliberadamente a canadense Andrea Constand, ex-diretora de operações de uma equipe universitária feminina de basquete de 44 anos, para impedir que pudesse resistir a sua agressão em janeiro de 2004 em sua mansão nos arredores da Filadélfia.

Cosby se negou a testemunhar em seu próprio julgamento e seus advogados apresentaram somente uma testemunha, um policial que recebeu a denúncia de Constand.

Cerca de 60 mulheres acusaram o vencedor de vários prêmios Emmy de ser um predador sexual e de ter abusado delas ao longo de quatro décadas, o que arruinou a sua carreira como comediante e a sua reputação.

Mas a denúncia de Constand é o único caso penal contra ele, já que os outros ocorreram há muito tempo para serem julgados.

AFP

 AFP