Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) A escritora J.K. Rowling

(afp_tickers)

A autora da saga "Harry Potter", J.K. Rowling, crítica ferrenha do presidente americano, Donald Trump, pediu desculpas nesta terça-feira, depois de ter sugerido que o político republicano havia ignorado um menino em uma cadeira de rodas durante um evento na Casa Branca.

A escritora britânica que, como Trump, é uma usuária prolífica do Twitter, utilizou a rede social para admitir que cometeu um erro e pedir desculpas, "sem reservas", ao menino e sua família.

Na sexta-feira, Rowling criticou Trump porque entendeu que o presidente havia ignorado um menino em uma cadeira de rodas que tentava cumprimentá-lo, depois de assistir um vídeo nas redes sociais.

"Fontes me informaram que não era uma interação completa ou precisa da interação entre eles", escreveu Rowling em um tuíte a respeito do vídeo.

"Eu, muito claramente, projetei minha própria sensibilidade sobre a questão das pessoas com deficiência que são ignoradas nas imagens que vi e, se isto causou alguma angústia para aquele menino ou sua família, peço desculpas sem reservas".

No dia 24 de julho, Trump e o vice-presidente Mike Pence receberam várias famílias que, segundo a Casa Branca, foram "muito castigadas" pelo Obamacare, incluindo o menino em questão e sua mãe.

Rowling havia lamentado "quão surpreendente e quão horrível" era o fato de Trump parecer ignorar o menino. Ela apagou os tuítes, mas o jornal Daily Mail já havia publicado as mensagens em seu site.

Um vídeo publicado no site da Casa Branca mostra o momento em que o presidente abaixa para falar com o menino.

AFP