Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Março) Cientista avalia corais na ilha japonesa de Shikinejima

(afp_tickers)

O Japão iniciou nesta quarta-feira uma investigação sobre o coral precioso na costa da ilha meridional de Kyushu, por suspeita de que o mesmo estaria sendo extraído ilegalmente por chineses para a joalheria.

A Agência de Pesca vai coordenar a investigação sobre o estado do coral até o início de setembro, com o auxílio de uma câmera submarina.

O coral precioso, termo que engloba quase 30 espécies de coral, é muito apreciado há várias décadas em determinadas partes da Ásia para a produção de joias e outras peças.

A agência nipônica coordenou uma investigação similar em 2015 perto das ilhas de Ogasawara e em Okinawa, depois constatar o aumento do número de barcos chineses que pescavam coral em águas territoriais japonesas.

Para lutar contra a atividade ilegal, o governo japonês revisou em 2014 as leis sobre a pesca ilegal na Zona Econômica Exclusiva (ZEE) do país e triplicou o valor das multas máximas até 30 milhões de ienes (230.000 euros, 270.000 dólares).

O Japão prendeu em julho um capitão chinês perto da costa de Nagasaki por violação da lei de pesca. Em seu barco, as autoridades encontraram coral precioso.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP