Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Javier Bardem e Penélope Cruz em 27 de julho de 2011 em Madri

(afp_tickers)

Os atores espanhóis Javier Bardem e Penélope Cruz explicaram nesta quinta-feira sua posição sobre o conflito na Faixa de Gaza, após denunciarem "o genocídio" de Israel contra os palestinos, em uma carta firmada por cerca de 100 artistas espanhóis.

Bardem enviou uma nota à imprensa americana destacando que "sua assinatura era um apelo à paz".

"Apesar de ser crítico à resposta do Exército israelense, tenho um grande respeito pelo povo de Israel e uma profunda compaixão por suas perdas", afirmou o ator.

"Agora alguns me chamam de anti-semita, como também a minha mulher (Cruz), que é o contrário do que somos como seres humanos. Detestamos o anti-semitismo tanto quanto detestamos as horríveis e dolorosas consequências de uma guerra".

Horas antes, Penélope Cruz também se defendeu das críticas recebidas pelo "Comunicado da Cultura contra o Genocídio Palestino", que firmou ao lado do diretor Pedro Almodóvar.

"Não quero que me interpretem mal em um assunto tão importante. Não sou uma especialista nesta situação e tenho consciência da sua complexidade", destacou a atriz. "Meu único desejo e intenção ao firmar a declaração é a esperança de paz tanto em Israel como em Gaza".

Os dois atores assinaram uma carta manifestando sua "indignação com o genocídio que está perpetrando o Exército de ocupação israelense na Faixa de Gaza contra a população civil palestina" e acusando Israel de "humilhar, deter e pisar nos direitos da população palestina de toda Cisjordânia".

AFP