Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Jihadistas do EI marcham em Raqa, em 30 de junho de 2014, em imagem da rede Welayat Raqa.

(afp_tickers)

Ao menos 85 soldados morreram nas últimas 48 horas em combates entre o exército sírio e jihadistas do Estado Islâmico (EI) que avançaram na província de Raqa, no norte da Síria, anunciou uma ONG opositora.

Não se sabe o que ocorreu com outros 200 soldados, acrescentou o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), com sede na Grã-Bretanha. O exército se retirou na noite de sexta-feira e os combates foram suspensos, afirmou.

Segundo o OSDH, os soldados se retiraram da base da Divisão 17, situada no norte da cidade de Raqa, nesta província considerada o principal reduto do EI na Síria.

Ao menos 28 insurgentes morreram nos combates, estimou a ONG.

Do total de 85, ao menos 50 soldados sírios morreram na sexta-feira em uma emboscada dos jihadistas, quando os militares realizavam uma retirada tática desta posição na província de Raqa (norte), palco desde quinta-feira de combates com uma violência sem precedentes entre os dois grupos.

Este é o primeiro confronto desta magnitude entre o EI e o regime. Antes as forças do regime e o EI se evitavam.

AFP