AFP

Jimmy Kimmel durante a cerimônia do Oscar, em Hollywood, em 26 de fevereiro de 2017

(afp_tickers)

O apresentador Jimmy Kimmel voltará a ser o anfitrião do Oscar em 2018, anunciou nesta terça-feira a Academia de cinema americana, que tenta virar a página da vergonhosa última edição.

O comediante de 49 anos vai trabalhar mais uma vez com os produtores Michael De Luca e Jennifer Todd para a 90ª edição do prêmio de maior prestígio da indústria cinematográfica, transmitido em todo o mundo em 4 de março.

A transmissão deste ano terminou de forma caótica após o erro no anúncio do prêmio de Melhor Filme - anunciaram 'La La Land' em vez de 'Moonlight' - que Kimmel e os produtores não tiveram culpa.

"Se você acha que estragamos o final deste ano, espere até ver o que preparamos para o show para o 90º aniversário", brincou Kimmel, que descreveu em um comunicado a experiência de fevereiro passado como "o ponto alto da minha carreira".

A empresa de auditoria PricewaterhouseCoopers, responsável pela contagem e salvaguarda dos votos e resultados do Oscar há 83 anos, assumiu a responsabilidade pelo erro.

Seus representantes no show, Brian Cullinan e Martha Ruiz, eram responsáveis ​​por entregar os envelopes aos apresentadores. No entanto, num momento de confusão, Cullinan entregou a Warren Beatty e Faye Dunaway uma duplicata do prêmio de Melhor Atriz em vez do de Melhor Filme.

A Academia decidiu manter a PwC como a sua empresa de auditoria para o próximo ano, apesar de Cullinan e Ruiz não voltarem.

Kimmel foi descrito pelo presidente da Academia, Cheryl Boone Isaacs, como "um dos melhores apresentadores de história do Oscar".

AFP

 AFP